30.1.06

O nirvana (2)

Cultura.
Há quem goste de Emanuel. Há quem se extasie num concerto de Clemente. Ou de Ágata. Dino Meira. Roberto Leal. Trio Odemira. Tunas.

O conceito de cultura é abrangente. Muito subjectivo. Posso concordar com muitos dos pontapés que recebi dos tunos que levaram a mal a minha antipatia por tunas. Serei um péssimo professor. Licenciatura às costas dos colegas, sempre com a alavanca dos auxiliares de memória. O que publiquei até hoje é um mar imenso de plágios. Desonestidade intelectual. Doutoramento por correspondência, depois de ter regado as mãos do júri com um suborno magistral. Confesso: destilo a acidez estomacal nas tunas por despeito: eu, que tanto queria entrar na tuna (para comer umas gajas, piorando o diagnóstico), e nunca me deixaram.

Só não concordo quando usam a palavra "cultura" para caracterizar a actividade das tunas. Mas, lá está: subjectividade, só subjectividade.

6 comentários:

Joana disse...

Isso da generalização é um pouco complicado, senhor Professor! É assim que devo tratar Vossa Excelência?

Devo depreender então que por ser aluna universitária (e não pertencente a qualquer tuna, diga-se) e por ter Docentes que são uma completa nulidade, o senhor Professor será igual? Esclareça-me, por favor...

Helena disse...

Não será que o Senhor Professor defende uma posição demasiado radical? Todos nós temos direito a manifestar a nossa opinião (já que manifestou a sua, parece-me legítimo que os tunos,ou pelo menos alguns deles, se expressassem sobre o seu post) mas respeitar o ponto de vista dos outros...só fica bem e revela respeito e boa educação.
Li os comentários que fizeram ao post e não me parece que se lhe tenham referido directamente a si como aluno cábula, professor incompetente ou qualquer uma das outras características menos boas que referiu. Afenas foi referida uma generalidade....o Senhor Professor é que se sentiu provocado. Reagiu ao seu próprio "veneno".
Mas essa sua posição contra as tunas, os alunos tunantes....será que não está só a ser um radicalista? Que dirá então dos seus colegas docentes que apreciam o que os seus alunos fazem nas tunas? Serão eles uns maus docentes? Serão incompetentes?
Não me parece. Da mesma forma que me parece muito correcto que critique tão ferozmente os tunos...

Anónimo disse...

Cultura.
Há quem goste do Código Civil. Há quem se extasie num concerto do Tribunal da Relação. Ou do Sr. Procurador da República. Canotilho. Vital Moreira. Trio de Advogados da Casa Pia. Advocacia.

Nada tenho contra quem se entusiame e viva em função somente de tais premissas culturais; também sou estudioso dessas matérias, caro "Colega". Mas a vida não gira em torno do que o Senhor entende ser importante. Há mais vida para lá da sua. A dos outros. Para quem estudou Direito, quase que me atrevo a dizer-lhe " em Dubio pró Tuna".

Anónimo disse...

Cultura.
Há quem goste do Código Civil. Há quem se extasie num exame aos seus alunos com chumbos. Ou de Canotilho. Vital Moreira. Direito Romano. Trio de advogados da Casa Pia. Direito.

Caro "Colega" (permita-me a expressão) que também lido profissionalmente com a Lex, permita-me um pequeno desabafo: A vida não se resume somente ao que o Caro Colega acha que é importante ou não. Há mais vida para lá dos Códigos. Permita, à luz do Direito, alguma equidade nos gostos e formas de estar de todos nós. E quando se coloca creditário de tanta sapiência, diz o Bom Senso que a humildade é natural preservativo para evitar a arrogância. Temo ser forçado enter aspas a dizer-lhe que " in dubio pró..Tuna"

Anónimo disse...

Exmº Reverendíssimo Sr. Prof. Doutor por extenso:

Esta é a ultima vez que cá venho desde a ultima que cá vim, já dizia o Almirante Américo Tomaz. Peço penhorado perdão pela repetição do post acima e não caía na tentação de articular retórica à custa da descontextualizada palavra "preservativo"; piada fácil para tentar atingir as tunas é usar as mesmas de forma descontextualizada. Sugiro humildemente, pois, nova jurisprudência, quiça, Doutrina, sobre a matéria em apreço.

Com Elevada Consideração

Pena disse...

Perante a sua afirmação, que passo a citar: "Só não concordo quando usam a palavra "cultura" para caracterizar a actividade das tunas. Mas, lá está: subjectividade, só subjectividade.", dizer que me parece imperativo que reveja o seu conceito de cultura e procure o seu significado num dicionário.

A cultura tunante é centenária (várias vezes centenária, diga-se). A Tuna é uma expressão cultural académica, advinda da prática reiterada de estudantes universitários. O mesmo acontece com o fado de Coimbra, com as tradições académicas, etc.
Sim, isso é cultura, uma das suas várias formas de expressão.

Que não goste, é um seu direito. Que difame ou mostre ignorância é que me parece já mau agoiro, quando depois pretende versar sobre um assunto que não domina, antes pelo contrário.

Se exige aos seus alunos excelência, saber, qualidade ............ o mesmo se exige de si e, neste aspecto, aliás como já o disse, me parece que tem a lição mal sabida, não estando preparado para merecer a positiva.
Vá pois também para férias (Brasil, já agora) e volte pro ano!