30.11.11

Passos trocados


In http://fotos.sapo.pt/3GIswjwIMNdELoTHsApA/
We miss each other our dreams
As redundâncias da carne, os afetos metidos no olvido, as lágrimas lambidas à face da pele, os olhos embotados pela carnificina das emoções. Uma correria. Contra o tempo, como se o tempo fosse um corcel abandonado, selvagem, correndo furiosamente pelos prados fora. As bússolas em tirocínios de artesãos diferentes, tão díspares os azimutes para onde apontavam. Reféns do tempo, as mãos dadas pareciam uma prece que limava as arestas até já tudo se ter desgastado. Por mais que as palavras viessem tingidas de todas as belezas, por mais que parecesse que os pés devoravam o chão em uníssono, fazendo-o seu altar privativo, o rasto deixado para trás insinuava uma ilusão que embaciava os olhos.
Os dias de glória teriam sido uma quimera. Houve dias que amanheceram sombrios, mostrando um rosto taciturno. Dias que afivelaram fantasmas que fundeavam no pescoço com o bafo dos temíveis punhais. E por mais que as vontades abreviassem o passo aos fantasmas, eles subiam numa espessura carnal que golpeava as quimeras já feitas. E elas ruíam em silêncio, as pedras esboroando-se no chão atapetado de sonhos. Os fantasmas foram ao osso dos sonhos. Descarnaram os sonhos até ficar à mostra a carne viva já separada do osso e um lago de sangue onde fermentavam as lágrimas escondidas. Os pés pareciam teimar na sincronia. Tanta era a vontade de iludir os desandados compêndios. Os fantasmas fizeram o resto do serviço.
Foi então que os sonhos subiram à superfície numa arritmia angustiante. As melodias embaraçavam-se em ruídos perturbantes, os punhais cravados bem fundo na carne tratando do que ainda faltava sangrar. Os sonhos com apogeus desiguais. A plateia onde estavam os espetadores era um lugar frio, as emoções contrastadas no fiel do que se dizia e do que se sentia. Um dia, os olhos fechados já não chegavam para esboçar a harmonia de um caminho. A penumbra dos olhos fechados sussurrou que os passos estavam trocados. 

4 comentários:

sandra disse...

There are moments when dreaming is all you have left

PVM disse...

But then you quit. Dreams never end, as we well know. When you attach too much to dreams, maybe they are meaningless.

SM disse...

Maybe you'r right, like...stop existing and start living.
Maybe you´r wrong... Loving your
blog, tks

PVM disse...

That's it: dreams are a cloud where life is a mere existence, deprived of the juicy part of the world.
Anyway, reason is out of reach. It doesn't matter whether we are right or wrong!
Be welcome here!